segunda-feira, 15 de setembro de 2014

O QUE É O EROTISMO

Erotismo, erótico e erotizar são termos que tem um origem etimológica comum e essa origem radica em “eros”, termo que designa o deus grego do amor e do prazer sexual.

Podemos dizer que o erotismo é a exploração, normalmente através da imagem e da palavra, de sentimentos e desejos despertados pelo sexo, e funciona como reforço desses sentimentos e desejos. Assim, por exemplo, um objeto ou uma situação revestem-se de erotismo - assumem uma dimensão erótica – se estimularem o desejo sexual.

Um pouco de atenção aos vários exemplos de expressão de erotismo divulgados e apresentados na literatura, cinema, publicidade, pornografia e muitas outras formas difusas de transmitir e comunicar mensagens, revela que o alvo privilegiado dessas expressões eróticas é o homem, não a mulher. E digo isto porque nessas expressões o objeto erótico visa a atenção dos homens aos quais é oferecido um estereótipo: o da mulher normalmente jovem e bela, mas também lânguida, passiva e expectante, cuja postura revela sex appeal - que suscita o desejo do homem.
Logo aqui se define e constrói a sexualidade masculina e a sexualidade feminina, o homem sujeito sexual, a mulher objeto sexual; o homem ativo, a mulher passiva, ou seja define-se e constrói-se modelos de comportamento masculino e de comportamento feminino.

Não há um erotismo dirigido diretamente para a mulher, provavelmente porque os criadores de literatura, cinematografia, publicidade, pornografia ainda são, em números avassaladores, homens; provavelmente porque o mundo ainda é o lugar dos homens e são eles que definem a “porção” que as mulheres podem ocupar.
Não tendo acesso a um erotismo que se lhes dirija que podem fazer as mulheres? Nelas, como nos homens, o desejo sexual é forte e, por isso, é apenas natural que sintam prazer não em desejar os homens – não é esse o modelo que lhes fornecem – mas em serem desejadas pelos homens. A partir daí, também naturalmente vão investir na sua aparência física, vão exacerbar se possível aquelas caraterísticas que sentem que os homens valorizam, vão colaborar na sua própria objetificação, sem perceberem bem o que lhes está a acontecer e, sobretudo, sem perceberem que estão a “apostar no cavalo errado”.

(para continuar)

2 comentários:

  1. Olá, adorei a postagem, sou nova aqui no Blog, mas por alguns textos q li já adorei, estarei sempre por aqui

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Ana
    Conto com a sua presença.
    Abraço, Adília

    ResponderEliminar